Ouve a Cidade, faz o download da App.
Pelo menos 20 mortos em ataques a campos de refugiados na Faixa de Gaza - agência
Associated Press

Pelo menos 20 mortos em ataques a campos de refugiados na Faixa de Gaza - agência

Forças israelitas continuam bombardeamentos pelo terceiro dia consecutivo após fim das tréguas.

Pelo menos vinte palestinianos morreram nas últimas horas em dois campos de refugiados na Faixa de Gaza, informou a agência de notícias WAFA.

Sete civis foram mortos esta madrugada durante um ataque das forças israelitas ao campo de refugiados de Bureij, no centro da Faixa de Gaza, informou a agência de notícias palestiniana.

O ataque contra casas de civis também deixou vários feridos, incluindo crianças, embora o número exato não seja conhecido.

Pouco antes da meia-noite, um outro ataque matou, no campo de Nuseirat, também no centro da Faixa de Gaza, pelo menos 13 pessoas.

Na ofensiva contra Nuseirat, o exército de Israel bombardeou com caças dois edifícios residenciais e efetuou rusgas em diferentes bairros da cidade.

Ainda segundo a WAFA, um palestiniano de 21 anos foi morto hoje a tiro pelas tropas israelitas na cidade de Qalqilya, na Cisjordânia ocupada.

Fontes locais disseram à agência que as forças israelitas dispararam indiscriminadamente enquanto efetuavam rusgas.

A 07 de outubro, combatentes do Hamas – desde 2007 no poder na Faixa de Gaza e classificado como organização terrorista pelos Estados Unidos, a União Europeia e Israel – realizaram em território israelita um ataque de proporções sem precedentes desde a criação do Estado de Israel, em 1948, fazendo mais de 1.200 mortos, na maioria civis, 5.000 feridos e cerca de 240 reféns.

Em retaliação, Israel declarou uma guerra para “erradicar” o Hamas, que começou por cortes ao abastecimento de comida, água, eletricidade e combustível na Faixa de Gaza e bombardeamentos diários, seguidos de uma ofensiva terrestre ao norte daquele território, que está agora a avançar para sul.

A guerra entre Israel e o Hamas, que continua a ameaçar alastrar a toda a região do Médio Oriente, fez até agora na Faixa de Gaza mais de 15.200 mortos, na maioria civis, e mais de 40.000 feridos, de acordo com o mais recente balanço das autoridades locais, e 1,7 milhões de deslocados, segundo a ONU, mergulhando o enclave palestiniano pobre numa grave crise humanitária.

Agência Lusa

Mais Notícias