Ouve a Cidade, faz o download da App.
"Agarraram-me e expulsaram-me" do Rock in Rio "como se tivesse roubado", denuncia Sónia Tavares
Foto Promocional

"Agarraram-me e expulsaram-me" do Rock in Rio "como se tivesse roubado", denuncia Sónia Tavares

Cantora dos Gift diz que foi expulsa do festival por ter comido "um croquete" e por ter bebido "uma imperial", contra "as regras".

A cantora dos Gift, Sónia Tavares, queixa-se de ter sido expulsa à força do recinto do Rock in Rio, no Parque Tejo, em Lisboa, na noite de domingo, quando estava de serviço enquanto comentadora convidada da SIC, num vídeo no Instagram publicado "uma hora depois" do suposto incidente.

Sónia Tavares começa por enquadrar que estava “na Zona VIP" onde as pessoas estão todas a comer. Após o “segundo direto” para a SIC, a cantora diz ter estado a comer “salada russa” e a beber uma "imperialzinha”. Prosseguindo a sua versão, conta que lhe pediram do staff de segurança para não beber fora da zona VIP: “Então vou fumar ali fora e, se não se importa, deixo aqui o copo”, junto à entrada - terá dito ao membro da equipa do Rock in Rio que a abordou.

“Uma senhora da equipa brasileira veio logo dizer-me: ‘a senhora não pode beber’”, ao que eu imediatamente reagi, perguntando: ‘Não posso beber porquê?’. A resposta não se fez esperar, "a senhora está com uma pulseira de serviço, não pode beber’ e prosseguiu dizendo que "o pessoal da SIC já foi avisado: não podem beber, nem comer". A cantora diz que pousou o copo e seguiu. 

Sónia Tavares recorda que “estava a maquilhar-se" a cinco minutos de "entrar num direto”, e aparece um membro do staff que a levou “por um braço” para fora do recinto. A cantora diz ter sido expulsa por “uma senhora e três seguranças”. O dialogo é relatado pela cantora no vídeo:

“’Oh não, o que é que eu fiz?’”. ‘Você comeu’. ‘Eu comi!? Peço desculpa’. ‘Você foi avisada que não pode comer’”.

“Levaram-me por um braço. Não é pelo facto de ser ou não conhecida. Somos todos iguais. Foi por me terem agarrado e me terem expulsado. ‘Vais-te embora, nunca mais voltas a estar aqui, tiramos-te a pulseira’. Eu fui expulsa à frente das pessoas todas. ‘E agora, o que é que eu faço’. ‘Não sei, vai falar com a tua produtora’. ‘Mas eu não tenho produtora. Nem sou da SIC, sou só convidada’. Ao longe vi a Carolina Patrocínio e disse-lhe: ‘estão a levar-me porque comi’. E botaram-me para fora com um pontapé, literal. ‘Regras são regras, está fora deste festival. Está expulsa, não pode voltar a trabalhar aqui’. ‘Oh, isto não está a acontecer. Então venho de Alcobaça, logo pela manhã. Estive uma tarde toda a dizer bem do Rock in Rio. ‘Ai que festival!, que é uma maravilha!’, a chamar clientes para o festival, convidada pela SIC e os gajos agarram em mim e expulsam-se como se tivesse estado a injetar na casa-de-banho ou que tivesse roubado alguém’”. E acrescenta mais adiante: ‘mas eu tinha tudo lá dentro, mala, e não posso voltar a entrar’.

Em modo irónico, conclui: “eu sabia que um croquete e uma imperial seriam o meu fim, mas não sabia que seria já”, queixando-se de ter sido “tratada à cão”.    

Sónia Tavares reconhece que nem sequer gostava da música que estava em cartaz. “Foi um favor que me fizeram, assim não tive que aturar o chato do Ed Sheeran”. “Com 47 anos, não esperava este tratamento”. “Acho que nunca me tinham tratado tão mal em sítio nenhum”. Lamenta o tratamento das pessoas como “gado”, apesar de caracterizar o evento como “megalómano”.

Sónia Tavares prossegue nos lamentos: “Não havia necessidade de me expulsarem à frente daquelas pessoas todas. E o que é que as pessoas vão pensar? O que é que aquela gaja terá feito para ser expulsa do Rock in Rio’”.

Nos minutos finais, Sónia Tavares afirma: “Rock in Rio, nunca mais meto aí os pés” e termina o vídeo com uma representação do que aconteceu.

A redação da Bauer Media Portugal contactou o Rock in Rio – Lisboa, mas até ao momento ainda não obteve qualquer resposta. 

Redação

Mais Notícias